Projeto: "Mulheres Rompendo Silêncios e Denunciando Violências".



 
 
No dia 06 de Fevereiro (quarta- feira) a Pastoral da Mulher retomou suas ações referentes ao Projeto: "Mulheres Rompendo Silêncios e Denunciando Violências".
 
Esse Projeto é realizado em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia e tem como objetivos:
  • Desenvolver estratégias efetivas de prevenção; e de políticas que garantam o empoderamento das mulheres e seus direitos humanos;
  • Promover espaços de sensibilização e formação sobre a violência sofrida pelas mulheres em contexto de prostituição;
  • Garantir o enfrentamento da violência contra as mulheres, vítimas do tráfico, da exploração sexual e que exercem a atividade da prostituição;
  • Fortalecer o processo de protagonismo e empoderamento das mulheres inseridas em contexto de prostituição;
  • Favorecer espaços de debates, rodas de conversa a cerca da temática da violência contra mulheres, entre outros.


 
Uma caixa grande envolvida por correntes e cadeados foi colocada no centro da sala, onde foi despertada a curiosidade das mulheres. A agente Ana Paula conduziu o momento refletindo sobre o sentido da chave (abrir portas, atravessar barreiras...) e pediu para que cada uma tentasse abrir o cadeado com a chave que lhes foi entregue junto com o convite.
 
 


 

Após ser aberto o cadeado e a caixa elas foram surpreendidas com uma mulher vítima de violência, ficando todas muito impactadas ao ver a situação daquela mulher, machucada, traumatizada, violentada, sozinha, com medo e sem esperanças.
Após ser perguntado o que elas poderiam fazer para ajudar a mulher a sair daquela situação, todas se prontificaram em ajudá-la, primeiro tirando as amarras que a prendia, depois a erguendo e quebrando o silêncio, e por fim acolheram a mulher com palavras de apoio e abraços.
 





 
O maior objetivo a ser alcançado com esse projeto é que as mulheres se sensibilizem com a temática da violência e que possam torna-se multiplicadoras, em suas comunidades, escolas, igrejas e espaços de prostituição, rompendo assim o silêncio e o ciclo da violência, relata a coordenadora da Pastoral, Fernanda Lins.

Serão realizados mais três encontros, sendo o próximo previsto para o dia 20 de fevereiro.
 

 

 


Nenhum comentário: