Homenagem da Agente Tamirys à Gleice Kelly



Homenagem à uma mulher atendida pela
Pastoral da Mulher, que faleceu esta semana.


 À Princesa Gleice Kelly

Escondida atrás de um corpo magro e sorriso largo
Havia uma menina
Espuleta, de olhares que falavam e com o sobrenome guerreira
Talvés suas qualidades eram desconhecidas do seu próprio ser

Aos 26 desconhecia seu destino
Aos 26 desconhecia seu interior
Aos 26 com fortes marcas deixadas pela vida
Mas sempre repleta de amor

Em cada fala, gesto, olhar
Deixava transparecer a imperatividade da juventude
Se equilibrando entre a incerteza de um futuro
E os sonhos reservados para ele

Uma jovem que tinha muito o que aprender
Mas que em sua breve passagem também nos ensinou

Ensinou que a realidade bate a nossa porta, e devemos que enfrenta-la
E ela o fez
Ensinou que o tamanho do amor que guardamos no peito não depende de idade
E ela o fez
Ensinou que para colocar um sorriso no rosto não precisa ter uma vida perfeita
Basta se alegrar com os simples e ora curtos momentos
E ela o fez

Renato Russo me transporta a uma atmosfera de reflexão
E bagunça minhas emoções quando diz:

“É tão estranho
Os bons morrem jovens
Assim parece ser
Quando me lembro de você
Que acabou indo embora
Cedo demais...
Vai com os anjos,
Vai em paz
Era assim todo dia de tarde
A descoberta da amizade
Até a próxima vez...”

Lembraremos dos seus desenhos e sonhos
Lembraremos dos seus sorrisos e lágrimas
Lembraremos das brincadeiras e afetos

E digna do nome de princesa, você irá reinar ao lado do Príncipe da paz.

(Tamirys Riesenberg)

Nenhum comentário: