Chega de Fiu Fiu: combatendo o assédio em locais públicos

 
 
Se o “fiu fiu”, aquele assobio efetuado por causa da passagem de uma mulher, é ato apreciado por muitos homens, o mesmo não se pode dizer das mulheres, vítimas de assédio de todas as formas. Um assobio, um “esfrega” no ônibus lotado ou o uso de termos como “gostosa”, “avião”, etc., na maioria das vezes são atos desrespeitosos, especialmente porque feitos sem o consentimento das mulheres.
 
Chega de Fiu Fiu é uma campanha da OLGA, “um think tank dedicado a elevar o nível da discussão sobre feminilidade”, como definem as suas criadoras. O objetivo de manter vivo e frequente o debate sobre o que é erroneamente considerado rotineiro e normal, afirmam elas. De mapas online, em que mulheres podem sinalizar locais onde sofreram algum tipo de agressão, até uma pesquisa sobre o assunto que contou com 7762 participantes, as trabalhadoras do Think Olga também utilizam a arte para propagar sua mensagem através de ilustrações de vários/as artistas.
 
Uma das ações do grupo é a produção de um documentário que levará o nome da campanha: Chega de Fiu Fiu. “Além das entrevistas típicas, vamos registrar cenas de abordagens do cotidiano — e o faremos graças a um óculos com uma câmera escondida”, esclarecem as organizadoras. “Como quase todos os projetos da OLGA, o documentário também será colaborativo e esperamos enviar óculos para várias mulheres ao redor do Brasil, para elas dividam com a gente as violências sexuais que sofrem ao circular em locais públicos”.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: