Equipe da Pastoral da Mulher de Juazeiro participou do XII Encontro da Rede de Pastoral Oblata

Com o tema “Educação e Assistência Social à Luz da Espiritualidade Oblata” teve início na noite do dia 12 de maio, o XII Encontro da Rede de Pastoral Oblata, que reuniu as Unidades: Pastoral da Mulher de Juazeiro/BA, Pastoral da Mulher de Belo Horizonte/MG, Força Feminina de Salvador/BA, Unidade Antonia de Santo Amaro/SP, Casa Abierta de Montevidéu/Uruguai, Puerta Abierta e La Casita de Buenos Aires/Argentina.  Além delas, contou com a participação de agentes da Pastoral Vocacional, da Secretária da Sede Administrativa e de irmãs da Comunidade Nazaré do Rio de Janeiro.

Iniciando o encontro, Ir. Lúcia Alves, vice-provincial deu as boas vindas e situou o sentido e o significado do trabalho em rede, assim como a construção e objetivo do encontro. Em seguida foi apresentado o vídeo com uma mensagem da Ir Roseli Consoli, Conselheira Geral/Madrid, e logo após a Agente Social da Pastoral de Belo Horizonte, Lucinete Santos, reforçou as boas vindas para as equipes que, mais uma vez, estão presentes no Encontro da Rede Oblata para receber e compartilhar conhecimentos vividos na realidade da prostituição em cada cidade onde estão inseridas as Unidades Oblatas.

Dando continuidade, Valtemi Galdino, Trabalhador Social da Unidade Força Feminino e Lucinete Santos, conduziram dinâmicas com os/as participantes que construíram uma rede dando nós entre cordões que foram distribuídos, simbolizando a construção conjunta da Missão Oblata.

Encerrando a noite, Fernanda Lins, coordenadora da Pastoral da Mulher de Juazeiro, convidou todos e todas, a pegarem uma lembrança que estava nomeada e distribuída aleatoriamente nas cadeiras das/os participantes e entregarem a quem estava destinado, compartilhando um abraço.

Conforme programado para o dia 13 de maio, os participantes da Província Santíssimo Redentor, que inclui os projetos de Argentina, Brasil e Uruguai iniciaram as atividades com um momento de mística, fazendo memória ao Dia de Nossa Senhora de Fátima e Abolição da Escravatura. Logo após, foi feita a leitura de fragmentos do livro “A venerável Madre Antonia – A Pedagogia do Amor”, onde todos foram convidados a refletir “como aconteceu o chamado pessoal para essa missão?”

Dando início a palestra da manhã, Ana Paula Santos, Pedagoga e integrante da Pastoral da Mulher de Juazeiro, apresentou a reflexão sobre o processo educativo a partir da realidade, nos âmbitos: formal, informal e não formal. Dessa forma, foi observado que os vínculos através da educação são estratégias que permitem a aproximação com as mulheres promovendo um diálogo natural.

Na parte da tarde, Fernanda Lins, Assistente Social e Coordenadora da Pastoral da Mulher de Juazeiro, convidou a todos para assistirem a apresentação teatral “`Projetos Oblatas no Tribunal”, encenada pel@s integrantes de tod@s os projetos Oblatas do Brasil. Em seguida, deu continuidade abordando o tema “A assistência social à luz da espiritualidade Oblata”.

Entre explanações e questionamentos que fizeram os participantes rememorarem e renovarem a forma de atuação do trabalho social junto às mulheres em situação de prostituição, Fernanda Lins solicitou do grupo, numa forma dinâmica e reflexiva, que pensassem na assistência social à luz da espiritualidade utilizada na missão Oblata.

A provocação trouxe respostas, a exemplo de: luta pela garantia de direitos das mulheres, princípio da dignidade humana, verdadeira vivencia da espiritualidade Oblata, o protagonismo das mulheres, o processo de continuidade do trabalho com as mulheres, a fim de atingir os poderes públicos para manter o atendimento adequado dos benefícios direcionados às mulheres que são público dos projetos Oblatas. “Estamos imbuídos/as numa espiritualidade Oblata que nos faz diferentes”, comentou Fernanda.

Encerrando as atividades do dia, as noviças Ana Paula de Assis, Priscila Fernandes, Luiza Pralon e Evelyn Caroline conduziram um momento de oração.  A noite, os participantes terão um passeio pelo Centro Histórico de Salvador (Pelourinho).

No dia 14/05 a Irmã Manuela Piñeres abordou a Espiritualidade Oblata, falando do caminho de misericórdia percorrido por nossos fundadores desde a origem e que hoje agir com misericórdia não significa tratar as mulheres com pena, ou caridade,  mas  ser sensível a realidade, perceber as potencialidade de cada mulher e lutar em conjunto em prol de uma melhoria em suas vidas. 

A noite os grupos se confraternizaram na noite cultural, regada  a música, boas conversas e partilha de comidas típicas dos locais. 

No dia 15/05 o grupo traçou estratégias a nível de projetos e de rede para dar continuidade ao estudo do tema, além de sugerirem temas para o próximo encontro da Rede em 2016. 

O encontro aconteceu no Centro de Treinamento de Líderes em Itapuã, Salvador/BA.





Ana Paula Santos explanando sobre "Educação".
Apresentação teatral "Projetos Oblatas no Tribunal".
Fernanda Lins abordando a "Assistência Social".
Encerramento das palestras com o momento de oração.

Nenhum comentário: