EQUIPE DA PASTORAL DA MULHER DE JUAZEIRO PARTICIPA DE PALESTRA SOBRE A ENCICLICA PAPAL LAUDATO SI


No último dia 02 de junho, o Movimento Fé e Vida, associação de leigos católicos comprometidos com o social de Petrolina/PE, promoveu uma palestra sobre a Encíclica Papal, LAUDATO SI, com a assessoria de Padre Luís Angel Plaza, mestre em teologia e membro do movimento água e vida.
"Laudato si, mi Signore - Louvado sejas, meu Senhor", cantava São Francisco de Assis. Neste gracioso cântico, recordava-nos que a nossa casa comum se pode comparar ora a uma irmã, com quem partilhamos a existência, ora a uma boa mãe, que nos acolhe nos seus braços (cf. n. 1). Assim o Papa Francisco inicia a Carta Encíclica Laudato Si, convidando toda a família humana a buscar um desenvolvimento sustentável e integral e a colaborar na construção da nossa casa comum.
O Papa Francisco lança um convite urgente a renovar o diálogo sobre a maneira como estamos construindo o futuro do planeta, considera todo o esforço feito por muitos movimentos ecológicos que já percorreram um rico caminho. Mas reflete que ainda há indiferença, acomodação e falta de solidariedade universal no esforço para com o cuidado da criação.
A encíclica que tem 246 parágrafos é dividida em seis capítulos, acrescenta um novo contributo à doutrina social da Igreja. É um texto articulado, muito específico em vários aspetos, que cita documentos de muitas conferências episcopais, incluindo a portuguesa.
Ao dirigir-se não só aos cristãos, mas a cada pessoa que habita neste planeta, Francisco invoca a solidariedade universal para unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral.
No último capítulo da encíclica, Francisco convida a outro estilo de vida, para evitar que a pessoa acabe por ser esmagada pelo consumismo obsessivo que é o reflexo subjetivo do paradigma tecnoeconômico, que faz crer a todos que são livres pois conservam uma suposta liberdade de consumir, ao passo que, na realidade, a liberdade está apenas nas mãos da minoria que detém o poder econômico e financeiro. A obsessão por um estilo de vida consumista, sobretudo quando poucos têm possibilidades de o manter, só poderá provocar violência e destruição recíproca.
A Pastoral da Mulher de Juazeiro – Unidade Oblata no Vale do São Francisco, esteve representado por Fernanda Lins, Ana Paula Santos, Mônica Pereira e Maria das Neves. “O documento nos convida a ter um olhar mais abrangente sobre a vida, a sair de si mesmo em busca do outro/da outra. Após esse encontro temos o compromisso de trabalhar com as mulheres, desde as atividades, encontros de espiritualidade e etc., novas formas de se relacionar com o meio ambiente e com o/a irmão/a”, comentou Maria das Neves.  
A participação em estudos de documentos orientativos da Igreja, reforça o compromisso da Unidade Oblata em Juazeiro, na defesa da vida e na construção de uma sociedade mais justa para as mulheres e as gerações futuras.
 

 

Nenhum comentário: