O feminicídio bateu à sua porta



Nesta quarta-feira, 11 de janeiro, mais uma mulher em Juazeiro tem sua vida interrompida brutalmente pelas mãos de um ex companheiro, conforme registrou o Blog do Geraldo José.

O crime aconteceu no Bairro Piranga, na residência da vítima, e o acusado, que golpeou com facadas a ex mulher, fugiu do local, tendo sido pego pela polícia pouco tempo depois.
O Feminicídio, conceito que surgiu e entrou em vigor como lei (Lei nº 13.104/2015) no ano de 2015, se configura como o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. De acordo com o Decreto-Lei nº 2.848/1940 que alterou o Código Penal para prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio, também passou a incluí-lo no rol dos crimes hediondos.
O assassinato de mulheres geralmente é motivado por sentimentos de ódio, desprezo ou perda do controle e da propriedade sobre as mulheres. Como já citamos anteriormente nesse blog, a violência contra a mulher tem raízes fincadas na desigualdade construída historicamente nas relações de gênero. Mulheres são vítimas cotidianamente de uma sociedade que insiste em segregar papéis, pregando a submissão e inferiorizarão do sexo feminino e alimentando a cultura do desrespeito e do abuso.
A luta pela igualdade de gênero e pelo fim da violência contra a mulher é uma das bandeiras da Pastoral da Mulher de Juazeiro.
Nós que compomos a equipe, nos sensibilizamos e entristecemos com cada caso de violação de direito e morte de mulheres, mas ainda acreditamos que é possível implantar uma cultura de paz. Estamos de luto, mas continuaremos lutando.
Fonte: Pastoral da Mulher 

Endereço do Blog:


Nenhum comentário: