Pastoral da Mulher de Juazeiro realiza roda de conversa para a equipe com o tema: Impactos da Reforma da Previdência na Vida dos Trabalhadores.


Preocupada com atual conjuntura do país e com a possibilidade de retrocessos na garantia de direitos sociais e trabalhistas, a equipe da Pastoral da Mulher de Juazeiro vivenciou na manhã dessa segunda-feira, 08/05/2017, um momento de formação sobre a Reforma da Previdência Social.

A roda de conversa foi facilitada por Iran wilker, Assessor Sindicalista da Central dos Trabalhadores e trabalhadoras do Brasil (CTB), que abordou os impactos da reforma da na vida dos trabalhadores.

A reforma da previdência social brasileira, conforme está sendo desenhada pelo atual governo, representa uma perca significativa dos direitos adquiridos ao longo dos anos no campo do trabalho. Com o aumento do tempo de contribuição (49 anos), e a fixação da idade mínima de 65 anos, para homens e mulheres, como exigência para a garantia de aposentadoria integral, o gozo do benefício se tornará algo inatingível para grande parte dos brasileiros, principalmente quando se considera a expectativa de vida em algumas regiões do país.

Para as mulheres a situação é ainda pior, uma vez que igualar a idade de aposentadoria com os homens desconsidera o preconceito de gênero nos ambientes de trabalho e a sobrecarga de atividades, quando acumuladas aos afazeres domésticos que ainda tem baixa participação da população masculina.

As percas são em grandes proporções e as consequências do desmonte são trágicas para toda a população trabalhadora do país. Chega a assustar as novas gerações. É necessário que nos unamos em prol da garantia dos nossos direitos.

A pastoral da mulher segue engajada nessa batalha e durante o mês de maio estará tratando da temática com as mulheres atendidas nos diversos espaços de atuação (acolhida, abordagens e reuniões comunitárias), na perspectiva de sensibiliza-las e empodera-las frente a essa luta, que é de todas nós.

#mulherescontraareforma
#somoscontraareformamachistadaprevidencia
#nenhumdireitoamenos

Fonte: Pastoral da Mulher


Nenhum comentário: