Mulheres relatam cárcere privado em casa de prostituição de Balneário Camboriú



Briga teria ocorrido em local que funcionava como casa de prostituição (Foto: PM/Divulgação)
 
Segundo a polícia, seis delas contaram que só poderiam deixar o local se pagassem. Dois homens foram detidos após briga no local.
Dois homens foram detidos suspeitos de exploração e favorecimento à prostituição após uma briga em uma casa de prostituição em Balneário Camboriú, no Litoral Norte, na noite de quinta-feira (1º). Segundo a Polícia Militar, seis mulheres relataram que eram mantidas em cárcere privado e obrigadas a se prostituir.
 
A PM foi acionada às 23h40 no Centro de Balneário Camboriú após uma briga generalizada. Quando os policiais chegaram ao local, havia oito pessoas - seis mulheres e dois homens, que seriam os chefes delas. De acordo com a PM, as outras pessoas que estavam na casa - entre clientes, seguranças e mulheres - fugiram durante a briga.
 
As seis mulheres, com idades entre 18 e 25 anos, relataram à polícia que não podiam sair do local sem pagar e que precisavam pagar comissão dos programas aos chefes. Elas teriam se revoltado contra eles e isso teria sido o motivo da briga. Houve troca de agressões.
 
A PM não soube informar há quanto tempo o local funcionava. Algumas delas são da região, conforme a PM. Uma das mulheres disse aos policiais que estava na casa há cinco meses e outra, há três meses.
 
Foram lavrados termos circunstanciados e as seis mulheres que estavam no local foram orientadas a fazerem exame de corpo de delito. Os dois homens, um de 47 anos e outro de 28, foram presos por exploração e favorecimento à prostituição. Eles teriam pagado fiança e sido liberados, conforme a PM. A Polícia Civil não passou informações sobre o caso.
Casa funcionava no Centro de Balneário Camboriú (Foto: PM/Divulgação)

 
Fonte: G1 Globo

Nenhum comentário: