Reunião do Grupo de Mulheres Pérolas


O grupo Mulheres Pérolas se reuniu na terça-feira, dia 20/06, para mais um rico momento de discussão.  Na ocasião foi trabalhado o tema: “Prostituição, escolha ou destino.”, em virtude do Dia internacional da Prostituta, celebrado no dia 02 do mesmo mês.

Espanha desmantela rede de exploração sexual de brasileiras


Rede de prostituição de brasileiras é desmantelada na Espanha (Raymond Roig/AFP)
 
A polícia espanhola desarticulou uma rede comandada por brasileiros que explorava sexualmente jovens na Espanha e na Itália, em uma operação na qual cinco pessoas foram detidas, três vítimas foram libertadas e outras quatro mulheres foram resgatadas antes de serem obrigadas a se prostituir.  A organização, que levava garotas do Brasil, não é a primeira do tipo desmantelada na Espanha. Nos últimos anos, várias operações envolvendo brasileiros foram descobertas no país, com  dezenas de pessoas presas.
 

Roraima é o estado mais "letal" para mulheres, diz relatório

Documento da Human Rights Watch afirma que casos de feminicídio no estado possuem ocorrências anteriores de violência doméstica



Aos 13 anos, Claudia (nome fictício para resguardar sua segurança) engravidou do namorado de 18. O que para justiça brasileira é considerado um estupro de vulnerável, é cenário corriqueiro em Roraima. Depois de dar à luz, foi agredida três vezes, o que resultou em ferimentos na boca, no olho e na coxa. Foi ameaçada de morte.
Com medo de ser mãe solteira, não denunciou o abuso nas primeiras vezes. Em janeiro de 2017, depois de ter sido trancada em casa pelo namorado, conseguiu escapar e ligou para a polícia. Somente com a segunda ligação os policiais chegaram. A resposta das autoridades foi a tentativa de reconciliação entre Claudia e o namorado.
Já na casa da mãe, teve o imóvel invadido, foi agredida “nas costelas” e ameaçada de morte. Somente acompanhada do padrasto conseguiu fazer o boletim de ocorrência, que não mencionava os abusos anteriores que foram contados pela vítima.

Festa Junina na Pastoral da Mulher de Juazeiro



O mês de Junho é uma época de grandes festividades na cultura brasileira, em especial no Nordeste do país. Caracterizada com fogueiras, trajes, comidas e bebidas típicas a tradição homenageia três santos católicos: Santo Antônio, São João e São Pedro.

A Pastoral da Mulher, unidade Oblata de Juazeiro, promoveu sua comemoração junina no dia 14/06 em homenagem a Santo Antônio: “Arraiá do Toím”. Mulheres acompanhadas pela instituição puderam desfrutar de uma tarde regada a alegria, deliciosas comidas e as famosas simpatias ao santo casamenteiro. Além de participarem de uma oficina de comidas típicas e serviços de sobrancelhas.


 Oficina de comidas típicas.

Encontro Formativo Laudato SI (Louvado Seja).


Nos dias 2 a 4 de junho as educadoras sociais Maria das Neves e Railane Delmondes participaram do encontro formativo sobre a Laudato SI da Sub-região 3, no Centro de Treinamento Diocesano em Carnaíba do Sertão, com representantes das Dioceses de Serrinha, Paulo Afonso, Irecê, Rui Barbosa, Bonfim, Juazeiro e da Arquidiocese de Feira de Santana. O evento teve como objetivo difundir a mensagem do Papa Francisco sobre o cuidado com a criação. Os participantes refletiram sobre a situação atual dos biomas brasileiros, principalmente sobre o bioma caatinga.

SPM lança campanha de alerta aos sinais de relacionamento abusivo

Com a proximidade do Dia dos Namorados, os relacionamentos são o assunto do momento. Mas é importante chamar atenção para uma questão: os relacionamentos abusivos. Sinais, gestos e ações que indicam que o relacionamento caminha para violências.
 
“Muitas mulheres sofrem violência e não se dão conta. Quando são xingadas, são expostas em grupos, tem sua alto estima ferida ou até mesmo perdem a autonomia sobre seu patrimônio”, explica a Secretária Especial de Políticas para as Mulheres, Fátima Pelaes.
 

Pastoral realiza Ação de Saúde e Cidadania


A Pastoral da Mulher promoveu no último dia 08/06, um evento de promoção a saúde e cidadania. O objetivo da ação foi facilitar o acesso das mulheres a serviços básicos, como atendimentos médicos, atendimento psicológico, testagem rápida, orientação nutricional, atendimento jurídico e do bolsa família.